Os caminhos sutis e tortuosos de um relacionamento abusivo

12 janeiro, 2019

Os caminhos sutis e tortuosos de um relacionamento abusivo


Olá meus queridxs leitores! Tudo bem? Hoje estou aqui para dar continuidade ao nosso bate-papo sobre relacionamentos abusivos. No texto anterior, eu abordei sobre sinais precoces deste tipo de relação. Porém, para muitas pessoas mergulhadas neste tipo de relação, identificar pode ser a parte mais complexa dada a sutileza que um relacionamento com estas características adota.

Além dos sinais precoces pontuados na nossa conversa anterior, em alguns relacionamentos, a pessoa abusadora adota um padrão tal sutil e velado de abuso que, muitas vezes, o alvo acredita que está exagerando ou fantasiando. Como isto acontece? Bom, os abusadores nem sempre são violentos, rudes ou externalizam outros comportamentos que afastem as outras pessoas. Muito pela contrário.

Ele pode ser uma pessoa amorosa, divertida, calorosa, envolvente, um bom pai, um bom amigo, mas…não se engane que, por trás desta máscara, há alguém com intenção de te dominar e controlar e para isso, é capaz de lançar de subterfúgios sutis e rasteiros. De que maneira? 

O abusador utiliza todo tipo de recurso e, inclusive, tem a capacidade de usar da simpatia, o carisma, o humor, a sedução e uma suposta bondade para te controlar e te dominar.



Veja que são táticas tão sutis, mas, ao mesmo tempo, eficazes para o abusador. E, por estas características, isto pode te deixar confusa porque você sente algo errado, porém, não consegue agregar elementos palpáveis para concretizar e apontar o comportamento abusivo em si. Além disso, é bom alertar que um potencial parceiro abusador não vai começa o relacionamento com comentários críticos, deboche, desqualificação ou algo do tipo. O progresso é gradual.

No entanto, com o passar do tempo, você percebe que ele te critica e faz comentários humilhantes e degradantes na frente dos seus conhecidos e familiares ou em circunstâncias inapropriadas. Você começa a ficar insegura com os aspectos criticados por ele tais como carreira, filhos, estudos, amor por si ou outro ponto que seja importante na sua vida.

Depois, o que não é incomum, ele pode “ te deixar na mão” quando você está doente ou tem alguma necessidade específica que precisa do apoio, carinho e atenção. Ou então você se sente em um tribunal em que precisa se explicar o tempo todo, por qualquer coisa e sob qualquer argumento. Eis situações típicas de um relacionamento abusivo.



Só que, apesar de tudo isso, em outros momentos, ele é exatamente a pessoa por quem se envolveu. E você se agarra a estas características positivas como se fosse uma tábua de salvação e com isso, não se atém aos sinais sutis e cíclicos do comportamento, arranja todo tipo de justificativa para o comportamento dele, racionaliza, ou até mesmo, pensa que ele tem razão e você é que está errada.

E esta forma de bater e assoprar te deixa confusa e atordoada e isto é muito eficaz para a pessoa abusiva. Porque é justamente este padrão de agir que faz com que ele te controle e domine, pois, você não saberá quem é realmente o seu parceiro, gastará energias na tentativa de agradá-lo ou de encontrar formas para manter o relacionamento dentro de um clima harmonioso e, quem sabe, realizará mudanças significativas na sua vida e em si ao longo do tempo com esta intenção. Enfim, todos estes movimentos terminam por deixá-la enredada no controle e domínio da pessoa abusiva.

Enfim, esta foi a prosa da semana e espero ter suscitado reflexões e ajudando a quem precisa. Caso você conheça alguém que precise deste breve texto, compartilhe ;)

Abraços e até a próxima!




Psicóloga CRP-19/2460, Psicodramatista e Mestre em Psicologia (UFS)
Karine David Andrade Santos
Psicóloga CRP-19/2460, Psicodramatista e Mestre em Psicologia (UFS)
Celular:  79 999192385
email:  psimulti@gmail.com
site:  www.eporelas.com.br
endereço:  Praça Tobias Barreto 510 Centro Médico Odontológico Sala 1210



Nenhum comentário

Postar um comentário

Por elas - Layout criado por WWW.GABILAYOUTS.COM.BR